terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Lar doce lar

   Após três dias longe de casa, já não aguentava mais de tanta saudade do meu cantinho e das minhas coisas, por mais humilde que nossa casa possa ser, não existe um lugar mais aconchegante e acolhedor que nosso lar. Deixar o hospital com meu bebê e meu marido, foi a sensação mais maravilhosa que pude sentir.
   No momento que deixei o hospital, soube que teria de aprender a ser mãe na pratica. Seriam muitos desafios, muito aprendizado e seria necessário muita sabedoria para poder criar e educar aquele ser tão pequeno e frágil da melhor forma possível.Logo de cara, algumas novas instruções, no hospital me instruíram a não dar banho no bebê até que o umbiguinho caísse, eu achei a coisa mais estranha do mundo, afinal, todas as crianças que conheci tomaram banho e nenhuma teve algum tipo de problema, então claro que não segui esta instrução.
   Os dias foram se passando e eu aprendendo mais e mais sobre a maternidade, descobri que o sono se torna um bem precioso, e que se quando grávida não dormia, nos primeiros dias do bebê em casa não seria muito diferente. Algumas pessoas muito especiais e bondosas me estenderam as mãos no momento que mais precisei, me deram conselhos, sugestões, apoio moral e também muito carinho.
    Me vi cercada por pessoas que muito pouco me conheciam, mas me tratavam como se fosse alguém muito importante para todas elas. Quando estava perdida, sem saber como cuidar do meu bebê, recebia conselhos dos mais experientes, quando o cansaço estava nítido em meu rosto, sempre alguém me dizia para não perder as chances de descansar assim que o bebê dormisse, e a cada dia, com cada nova situação, fui aprendendo mais e mais e pude notar o quanto Deus se importa comigo, não importando de que lado do globo eu me encontre.

0 comentários:

Postar um comentário

Compartilhe

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More