terça-feira, 17 de novembro de 2015

Conhecendo a maternidade.

   Quando estava perto de completar trinta semanas de gestação, meu obstetra me deu uma ficha para informações pessoais e um tipo de convite, para fazer uma visita à maternidade onde eu teria meu bebê. Achei tudo muito novo, imagina, você visita o hospital e ainda faz um pré cadastro para ganhar neném? Muito avanço para quem estava acostumada com as longas filas e esperas por médicos do SUS, mas vamos aproveitar.
   Fui até o hospital com as fichas todas preenchidas, fui muito bem atendida, se tratava de um hospital presbiteriano em uma cidade vizinha de onde moro. No próprio hospital me explicaram, que aquele pré cadastro era apenas para evitar o estresse no dia do parto, muito adequado, diga-se de passagem. No mesmo dia aproveitei para perguntar sobre a visita à maternidade, e me passaram as datas e horários de visita.
   Na data indicada, retornei ao hospital com meu esposo, uma vez por semana eles fazem um tour, com um grupo de gestantes que pretendem ter seus bebês naquele hospital. Achei a visita incrível, os detalhes passados aos pais é de grande ajuda, as instruções vão desde a chegada no hospital, a estadia, regras da maternidade, questões de segurança, estacionamento, acompanhante e alimentação. 
   Abaixo vou listar as principais.

  • As gestantes tem direito a um acompanhante por todo o tempo em que estiverem no hospital.
  • O pai da criança é o único que pode dormir no hospital com a mãe.
  • O acompanhante tem direito a apenas uma refeição, no caso jantar, mas o hospital dispõe de cozinha com alguns lanches, sucos, leite, chá, máquina de sorvete e etc para os acompanhantes (grátis).
  • Os quartos são INDIVIDUAIS. Cada gestante tem sua suíte.
  • Os pais podem estacionar seus veículos no estacionamento do hospital, e por isso pagam uma taxa única ($10) para o tempo que for necessário (3 a 5 dias ou o necessário).
  • A sala de parto também é individual.
  • Tanto quarto quanto sala de parto, são equipados com TV, telefone e internet, o quarto com um sofá que vira cama, para o acompanhante.
  • Assim que o bebê nasce, são colocados dois braceletes de identificação nele, um na mãe e um no pai. O bebê leva ainda um chip, no cordão umbilical, e caso alguém tente sair da maternidade com ele antes de ter alta, todas as portas do hospital são travadas automaticamente.
   Quando sai do hospital, estava muito mais que encantada, como assim? Como um hospital pode oferecer tanto conforto? Mais parecia um hotel cinco estrelas a um hospital. De tudo que vimos no hospital, acredito que o mais importante, foi a segurança e a confiança que sentimos quanto ao lugar que havíamos escolhido para ter nosso bebê.




1 comentários:

meu deus joyce, quero ir pros EUS casar, ter filhos e morar, é tudo tão encantador *-*

Postar um comentário

Compartilhe

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More