quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Males que vem para o bem.

   Depois que nos certificamos, que eu não estava louca, e muito menos tinha perdido o controle de nossa vida financeira, restou a meu marido e seu colega de trabalho, conversarem com o patrão. 
    Eu não tenho a menor ideia, de como uma pessoa pode ser tão dissimulada nessa vida. O patrão do meu esposo, simplesmente fez cara de paisagem, fingiu que estava sabendo da novidade naquele exato momento, por que me desculpem, isso não cola, como você paga seus funcionários, com cheque, todos os cheques retornam por quatro semanas seguidas, e vem me dizer que não sabia de nada, give me a break!!! Tá de sacanagem comigo né???!!! Ele se fez de Madalena desinformada, pediu mil desculpas, disse que eles teriam de ter paciência, que ele acertaria tudo com o tempo e, bla bla bla... Como assim, com o tempo, todo mundo tem conta pra pagar, ninguém trabalha por esporte, ao menos não em uma oficina, lixando carro, mexendo com água fria em um inverno de congelar.
   A pergunta era: como receber de uma pessoa que declarava não ter como pagar? Os dois olharam para os lados e enxergaram a solução, ao menos, a única do momento. Tinha um carro, que estava parado na oficina, já a muito tempo, e que pertencia ao dono da oficina. Era um carro bom, com a km baixa, e que chegava no valor da dívida do patrão com seus funcionários.
   Naquele momento, era a única opção para receber os pagamentos atrasados, era pegar o carro como pagamento, ou ficar esperando e torcendo para receber os atrasados de alguma outra forma. Os dois conversaram com o patrão e ela aceitou deixar o carro como pagamento da dívida, na verdade para ele, era um grande negócio, pois o mesmo, não teria de onde tirar dinheiro para quitar as dívidas. Como a parte do meu marido era muito pequena, ele acordou em esperar o carro ser vendido para receber suas semanas de pagamento atrasados, porém, agora tínhamos dois problemas; não tínhamos o dinheiro de um mês de trabalho, e continuávamos com o carro quebrado. 
   Após poucos dias do acordo feito, meu marido recebeu uma oferta; por que não ficávamos com o carro, já que era um carro mais novo e que resolveria nossos problemas? A ideia nos agradou bastante, realmente era um carro muito bom e muito conservado, porém, o valor que tinha de ser pago ao outro funcionário, era muito alto, nós não tínhamos, e a quantia que ele queria para fazer a prestação, também não estava ao nosso alcance. Em um momento de coragem, liguei ao meu marido, e lhe disse para oferecer, a metade do valor que seu colega pedia na prestação, mas já alertei ao meu marido, para dizer a ele para não se ofender com a proposta, mas era o valor que podíamos pagar.
   Alguns poucos minutos meu marido me ligou, dizendo que acabávamos de comprar um carro!!! Eu não acreditava, fiquei muito surpresa, ele não apenas tinha aceito a proposta, como também aceitou nosso antigo carro como parte de pagamento. Aquele dia me senti tão feliz, um peso enorme tinha saído de nossas costas, dois problemas foram resolvidos e de quebra, ficamos com um carro alguns anos mais novo. Hoje tenho de confessar, às vezes, quando estamos no olho do furacão, não conseguimos ver saída para nossos problemas, porém, algumas vezes, existem males na vida que vem para o bem! 

0 comentários:

Postar um comentário

Compartilhe

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More