quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Defeito no carro, cheques sem fundos...

   Por volta de oito meses depois que compramos nosso carro, uma luz da injeção eletrônica acendeu. Eu não fazia muita ideia de que isso significava, sabia que tinha algo errado com o carro, mas não sabia o quão grave poderia ser. Como havíamos comprado o carro de um mecânico, vizinho do trabalho de meu marido, no final de semana, ele levou o carro para o mesmo mecânico ver sobre o defeito. Para nossa surpresa, o mecânico nos disse que era uma peça que deveria ser trocada, porém a peça custava caro, mas em contra partida, não afetava em nada no desempenho do carro. A única coisa que poderia afetar, era na inspeção anual, que até então não entendíamos muito bem.
   Este mesmo mecânico, se comprometeu em fazer o orçamento do conserto, porém sempre que o procurávamos, ele nos dava uma desculpa e dizia que não teve tempo de ver a respeito de nosso carro. Como já haviam se passado alguns meses e logo teríamos de fazer a inspeção do carro, decidimos procurar por outro mecânico.
   No dia combinado, levei o carro na oficina, e para minha surpresa, o mecânico me informou que o carro tinha um defeito grave, e que a peça mais a mão de obra, somariam, quase que a metade do valor que já havíamos pago no carro. Eu quase cai de costas, não acreditava naquilo que estava escutando. Não fazia o menor sentido, pagar um dinheirão para consertar um carro, que já valia bem menos que aquilo que pagamos na compra. Confesso que fiquei um tanto quanto atordoada, e deixei meu marido ainda mais atordoado, afinal, era eu quem mais usava o carro, e necessitava do mesmo para trabalhar.
   Ainda faltavam alguns meses para vencer a inspeção do veículo, e então descobrimos que, se a luz ainda estivesse acesa, o veículo não passaria, e não adiantava de nada apagar a luz e fazer a inspeção, pois o carro tem de andar uma milhagem x depois de ter o sistema resetado. Pronto, era tudo que eu precisava ouvir. Naquele momento, tínhamos apenas duas opções, consertar o carro, que não sabíamos se não nos daria mais problemas em pouco tempo, ou vendê-lo da forma que estava e usar o dinheiro do conserto para comprar outro carro.
   Durante alguns dias, pensamos e discutimos nossas possibilidades, então decidimos checar nossa conta no banco, e achei estranho, que o banco havia estornado alguns valores da nossa conta. Eu não fazia a menor ideia de que se tratava, até porque usávamos a conta apenas para depositar o pagamento do meu esposo. Tentamos falar com um colega de trabalho de meu marido, e ele nos disse que talvez tivéssemos feito algo, tipo uma transação errada, compra ou coisa do tipo. Eu não entendia e também não me conformava, sempre fui muito organizada com a parte financeira, tínhamos trocado de pais, mas não de costumes.
   Depois de muito insistir, o colega de trabalho do meu esposo também resolveu checar sua conta bancária, e aquilo que eu mais temia, estava acontecendo, faziam quatro semanas que os cheques de pagamento estavam sendo devolvidos sem fundos!!! Pronto, naquele momento só pensei, que tudo que já estava ruim, ficou apenas pior.

(Continua)

0 comentários:

Postar um comentário

Compartilhe

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More